Gabigol faz juras de amor ao Santos, diz pensar em seleção e se vê ‘outra pessoa’ após Europa

Pouco mais de um ano e meio após deixar o Brasil para rumar à Internazionale de Milão, Gabriel Barbosa, o Gabigol, foi (re)apresentado no Santos.

Ao lado do presidente, José Carlos Peres, e do diretor de futebol, Gustavo Vieira de Oliveira, o velho-novo atacante alvinegro agradeceu o esforço da cúpula santista pelo seu retorno por empréstimo e não deixou de fazer juras de amor à equipe que o revelou para o futebol.

“Muito feliz de estar aqui novamente. É um lugar que me sinto muito bem, feliz e queria agradecer ao Gustavo pelo esforço e ao meu pai, que foi o comandante de tudo isso. Fizemos tudo isso pelo coração. Queria também agradecer à torcida pelo carinho e a todos vocês (jornalistas) por comparecerem. Vai ser uma caminhada com muita felicidade”, afirmou o jogador, que vestiu novamente a camisa 10.

Gabigol, claro, não conseguiu escapar dos questionamentos sobre sua curta e atribulada passagem pelo continente europeu. O atleta admite que errou em suas passagens pela Inter e pelo Benfica, de Portugal, mas diz estar muito mais maduro em relação a quando saiu  do solo nacional.

“Morei fora, aprendi outras línguas, tive muitas experiências dento e fora de campo. Creio que isso tudo influencia bastante. Sou outra pessoa, mas com a mesma essência daquele menino que sempre luta pelos sonhos e vai atrás dos seus objetivos”, garantiu.

O atacante ainda aproveitou para assumir que um de seus grandes objetivos nesta volta ao futebol brasileiro é voltar à seleção. Gabigol foi uma das peças importantes na conquista do ouro olímpico no Rio de Janeiro, mas, desde então, não voltou a ser convocado – pela principal, fez quatro jogos e marcou dois gols.

“Tem a ver com seleção, sim. Claro que quero ajudar o Santos, primeiramente, porque está investindo em mim, e a seleção é muito consequência do meu trabalho”, confirmou.

Mas, como todo ídolo identificado com sua torcida, Gabriel teve de responder se trocaria o “Peixe” por outro rival, assim como fez Lucas Lima, por exemplo, que se transferiu ao Palmeiras no início desta temporada.

“Acho que está muito claro que sou santista e, como falei pro Gustavo, só depende de vocês porque meu coração vocês conhecem muito bem. É difícil falar que nunca jogaria em outro clube, mas dependendo do Santos, usaria sempre esta camisa”, disse.

Já treinando com seus companheiros, há a chance do atacante já ser relacionado para o clássico diante da equipe alviverde, no próximo domingo, às 17h (de Brasília), pela quinta rodada do Campeonato Paulista. Gabigol ainda espera que seu nome seja publicado no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para que esteja legalmente apto a reestrear.

MSN

Deixar uma Resposta