Dirigentes da McLaren buscam acordo de fornecimento de motor com Ferrari, diz jornal italiano

Uma das parcerias mais improváveis da história da F1 virou uma alternativa para a McLaren. De acordo com o jornal italiano ‘La Gazzetta dello Sport’, dirigentes da equipe britânica estão negociando um acordo de fornecimento de motores com representantes da Ferrari.

De acordo com a publicação, a McLaren já perguntou à Ferrari quais seriam as condições para fechar o acordo. Os italianos ainda não enviaram uma resposta.

O acordo seria uma solução para os problemas crônicos da McLaren com a Honda, que hoje produz os piores motores da F1. O produto da marca japonesa não só é menos potente do que o dos concorrentes, como também é menos confiável.

Ao mesmo tempo, uma parceria com a Ferrari seria algo impensável para uma McLaren que passou décadas desenvolvendo uma rivalidade com Maranello. Tratam-se das duas equipes mais vitoriosas da história da F1, além de rivais no desenvolvimento de carros esportivos. E, como em toda rivalidade, surgiram momentos de tensão: exatos dez anos atrás a equipe britânica era investigada pela FIA por espionar documentos e informações confidenciais dos italianos.

A parceria também poderia acontecer através da marca Alfa Romeo, que pertence ao mesmo conglomerado que a Ferrari. A McLaren pode rebatizar os motores, tal qual a Red Bull faz com os motores Renault, que viraram Tag-Heuer.

O acordo também é viabilizado pelo fim da parceria entre Sauber e Ferrari. Os suíços encerraram a parceria com os italianos e vão correr justamente com o motor Honda em 2018.

A primeira alternativa da McLaren é a Mercedes. A marca alemã ainda não deu seu veredito sobre a possibilidade de reatar a parceria histórica, encerrada em 2014.

MSN

Deixar uma Resposta